MONITORAMENTO ESPECIAL DO RIO DOCE

A barragem de rejeitos de Fundão, da mineradora Samarco, que pertence à Vale e à empresa anglo-australiana BHP Billiton, localizada em Mariana (MG), rompeu no dia 5 de novembro de 2015. A onda atingiu a barragem de Santarém, situada à jusante e galgou-a, alcançando as povoações de Bento Rodrigues e Barra Longa nas margens no rio Gualaxo do Norte; passou pelo rio do Carmo, atingiu o rio Doce e, após 16 dias percorrendo aproximadamente 660 km, alcançou o mar em 21 de novembro de 2016, em Regência, Município de Linhares (ES).

A partir do dia 6 de novembro de 2015, a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) realizaram campanhas especiais de monitoramento da qualidade das águas do rio Doce, e também dos sedimentos oriundos do rompimento da barragem, comparando os resultados com prospecção geoquímica realizada em 2010 na mesma região, gerando relatórios divulgados nesta página. O Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM) também iniciou monitoramento especial a partir do dia 7 de novembro, em 12 pontos do curso principal do rio, e consolidou relatórios técnicos, também divulgados nesta página. Outras instituições, como o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Espirito Santo (IEMA) e as Usinas Hidrelétricas (UHEs) localizadas no curso principal do rio, também vem realizando análises referentes à qualidade da água do rio Doce, divulgadas nesta página. A ANA passa a disponibilizar neste endereço eletrônico mapas e gráficos com informações relativas à qualidade da água do rio Doce em cada um dos pontos monitorados, por meio de planilhas eletrônicas com os dados respectivos, gráficos e mapas, buscando dar publicidade aos elementos coletados.

Para referência também foram depositados nesta página os boletins emitidos pelo Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Doce, os volumes do Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Doce (PIRH-Doce) bem como informações respeitantes a dados pluviométricos e previsões meteorológicas para a bacia do rio Doce para os próximos cinco dias.



Programa de Monitoramento Quali-Quantitativo Sistemático de Água e Sedimentos (PMQQS)

Um Termo de Transação de Ajustamento de Conduta (TTAC) foi firmado em março de 2016 entre União, governos de Minas Gerais e Espírito Santo, prefeituras municipais e a mineradora Samarco (e suas acionistas Vale e BHP Billiton), que definiu um conjunto de 41 programas socioambientais e socioeconômicos de recuperação, reparação e investimentos em infraestrutura. Para assegurar a execução dos programas, foi instituída, em agosto de 2016, a Fundação Renova, entidade privada e sem fins lucrativos. A fiscalização do cumprimento do TTAC é feita pelo Comitê Interfederativo, composto por 11 Câmaras Técnicas e coordenado pelo Ibama. A Agência Nacional de Águas coordena a Câmara Técnica de Qualidade da Água e Segurança Hídrica, que acompanha o Programa de Monitoramento Quali-Quantitativo Sistemático de Água e Sedimentos (PMQQS). Clique aqui para ter acesso ao Programa.



QUALIDADE DA ÁGUA NO RIO E DOS SEDIMENTOS
BOLETINS DE ACOMPANHAMENTO DA BACIA DO RIO DOCE
SISTEMA DE ALERTA HIDROLÓGICO DA BACIA DO RIO DOCE

Mapa da passagem de lama


Clique aqui para visualizar o mapa da passagem da lama

Boletins do sistema de alerta



Clique aqui e veja os demais boletins disponíveis



DADOS HIDROLÓGICOS












Agência Nacional de Águas - ANA
Setor Policial, área 5, Quadra 3, Blocos "B","L","M" e "T".
Brasília-DF CEP: 70610-200   PABX: (61) 2109-5400 / (61) 2109-5252
Melhor visualizado em 1024x768 com Firefox 3 e IExplorer 7 ou superiores